CBJM partipa da RENAJOC 2015, em Brasília

Milena Klinke, do Cala-boca já morreu, participou do V Encontro da RENAJOC.

OBJETIVO GERAL
Contribuir com o fortalecimento da Rede, proporcionando um espaço de aproximação entre os participantes, partilha de saberes e avaliação dos planejamentos feitos ao longo Encontros Regionais de Adolescentes e Jovens Comunicadoras e Comunicadores realizados em 2014.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
1) Aproximar e criar laços de solidariedade, colaboração e afeto entre os participantes da Renajoc, incluindo e articulando novos Sujeitos, organizações e grupos à Rede;
2) Aprofundar o conhecimento e ompreensão dos participantes sobre a Renajoc;
3) Melhorar a comunicação entre a Rede e da Rede com outras organizações e esferas de discussão nos temas de nossa atuação;
4) Ampliar a discussão sobre as conhecimentos e ferramentas livres (construídos Colaborativamente, com licenças abertas e propriedade coletiva) geradas e melhoradas pela coletividade em detrimento da cultura hegemônica de conhecimentos fechados, controlados e proprietários;
5) Realizar formações, trocas de experiências e diálogos sobre direito humano à comunicação, direitos humanos, educação popular, cultura, democratização das comunicações, escrita de projetos e captação de recursos, entre outros temas necessários;
6) Avaliar as ações realizadas e os encaminhamentos das tarefas planejadas durante os Erejocs 2014 e traçar ações para concluir as em andamento e encaminhar as pendentes;
7) Fortalecer a incidência política sobre os poderes públicos, municipais, estaduais e federais;
8) Avaliar e refletir sobre o Projeto Mais Educomunicação (em parceria com o Instituto C&A), em seu último ano, buscando perspectivas de continuidades ou novos projetos coletivos da Renajoc;

CBJM trata de Democratização da mídia no Brasil com alunos de Escola Pública


Contribuir para a compreensão de como funcionam os meios de comunicação no Brasil e sobre o direito que todos nós temos de também produzir comunicação faz parte dos objetivos do Projeto Cala-boca já morreu. 

Por esse motivo, Mariana Manfredi participou de uma conversa sobre esses dois temas com estudantes do 6º e 8º ano do Ensino fundamental, da Escola Municipal Marlene Rondelli,Vila Prudente, zona leste de SPaulo, nos dias 26 e 27 de outubro/2015.

Fotos: Fernando Cabral

A Reserva Natural do Sesc São Paulo em Bertioga conclui etapa de diagnóstico do Plano de Manejo

Entre as 589 espécies encontradas, destacam-se o palmito juçara e a caixeta, ambas em estado de vulnerabilidade de extinção, segundo classificação da União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais. Também foram observadas quatro espécies de besouros, sendo dois novos registros de ocorrência na Baixada Santista. Em relação às formigas, quatro gêneros que não haviam sido registrados nas áreas de restinga do estado de São Paulo. Também foram encontradas quinze espécies de abelhas registradas pela primeira vez na região de Bertioga. 

Das inúmeras espécies de aves, destacam-se o macuco (quase ameaçada), choquinha-cinzenta (quase ameaçada), araponga (vulnerável) e tiririzinho-do-mato (quase ameaçada). Além disso, foram avistadas quatro espécies de mamíferos de grande e médio porte, entre elas o tamanduá-mirim e o veado catingueiro. Também houve o registro do rato-do-brejo, uma espécie rara.

Boa notícia para todos nós do Cala-boca já morreu que participamos de um pedaço bom dessa história, realizando programas de rádio, na perspectiva da Educomunicação, com jovens de Bertioga para a Rádio Reserva.

Cala-boca já morreu recebe alunos do CEPAM

   

Neste dia 8 de outubro/2015, recebemos 18 estudantes da disciplina "Práticas de Projetos Sociais - estudos de caso", do Curso Técnico de Gestão de Projetos, do CEPAM Centro de Estudos e Pesquisas de Administração Municipal.


Os alunos da Profª Bianca Barbosa Chizzolini buscaram conhecer histórico e concepção de gestão da instituição; articulações e parcerias; captação de recursos; proposta pedagógica, áreas de atuação e resultados alcançados pelo Cala-boca já morreu.