+ nóticia sobre o Jaê!


As crianças precisam falar com suas próprias palavras o que sentem e pensam, como sujeito de direitos que são.

Daí a importância e o valor de matérias que estão saindo na imprensa e de trabalhos acadêmicos que mostram o trabalho de escuta direta de crianças e adoloscentes que participaram do Projeto Jaê - criando a São Paulo que a gente quer!, nas cinco regiões metropolitanas.

Aqui, a matéria da Revista Outra Cidade, na íntegra.

Jaê - um projeto de escuta direta de crianças e adolescentes sobre a cidade de SPaulo


Neste vídeo se encontra o compromisso do Projeto Cala-boca já morreu de assegurar o direito à comunicação a crianças e adolescentes e de mostrar a todos os interessados na construção de uma sociedade justa, que é preciso escutar o que eles têm a dizer sobre a vida em sociedade, com suas próprias palavras!

Ouça adolescentes que frequentam a Praça Wifi Livre SP, Campo Limpo - zona sul de SPaulo


Olha só este trechos sobre a estrutura da escola: "Você tem que se perguntar 'a escola já veio montada ou ela já veio quebrada?', porque tem essa coisa da escola perfeita e os alunos ou as pessoas que frequentam esse lugar público não terem a conscientização de 'meu, é meu lugar, esse é meu lugar de estudo, é aqui que eu vou crescer', entendeu?

E aqui sobre alimentação na escola: "se não tivesse essas cantinas que vendem as coisas, as crianças iam comer mais na escola"

Esse e outros depoimentos de crianças e adolescentes integram o Projeto Jaê - criando a São Paulo que a gente quer!, atendendo ao Edital Redes e Ruas

Gente, sério, ouçam esse programa!!! Criança falando sobre a cidade

 Emoticon smile


Foi gravado no CEU Paraisópolis durante uma das oficinas do Projeto Jaê. Vale ouvir cada minuto. As pequenas Mônica, Cibele, Natalia e Estefani, todas de 9 anos, contam suas ideias para uma São Paulo ideal. Cidade mais verde, com mais bicicletas e com serviços gratuitos e de qualidade. Praças para mulheres grávidas com oferecimento gratuito de frutas e comidas saudáveis, cobertores e brinquedos para os bebês. Praças para idosos com serviços dentais e de saúde, jogos e outras atividades. Saúde na cidade ideal seria ter um rio limpo, para ficar olhando suas margens bonitas

Os cidadãos e cidadãs de todas as idades têm o que dizer" sobre a cidade de SPaulo


Reencontrão do Projeto Rádio Ambiente 21


A vida sempre vale a pena e a esperança insiste em se mostrar "pra quem tem olhos de ver"....
Uma dessas ilustrações conteceu no sábado do dia 28 de novembro/2015, quando esse bando de gente bonita da foto se reuniu depois de 3 anos...
O motivo?A vontade de se rever, afinal, juntos, todos vivenciamos momentos de respeito, carinho, alegria, conversa séria, traduzidos em um monte de programas de rádio do Projeto Rádio Ambiente 21, correalização Sesc SP e Projeto Cala=boca já morreu.

Sérgio Gomes "é coisa pra se guardar do lado esquerdo do peito"

No dia 27 de novembro/2015, na Câmara Municipal, participamos da festa de entrega da Medalha Anchieta e doDiploma de Gratidão da Cidade de São Paulo ao Sérgio Gomes, jornalista, fundador e diretor da Oboré, parceiro de todas as horas do Cala-boca já morreu, há muitos anos.

Ao Serjão, como é conhecido, nosso carinho, respeito e gratidão!

CBJM partipa da RENAJOC 2015, em Brasília

Milena Klinke, do Cala-boca já morreu, participou do V Encontro da RENAJOC.

OBJETIVO GERAL
Contribuir com o fortalecimento da Rede, proporcionando um espaço de aproximação entre os participantes, partilha de saberes e avaliação dos planejamentos feitos ao longo Encontros Regionais de Adolescentes e Jovens Comunicadoras e Comunicadores realizados em 2014.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
1) Aproximar e criar laços de solidariedade, colaboração e afeto entre os participantes da Renajoc, incluindo e articulando novos Sujeitos, organizações e grupos à Rede;
2) Aprofundar o conhecimento e ompreensão dos participantes sobre a Renajoc;
3) Melhorar a comunicação entre a Rede e da Rede com outras organizações e esferas de discussão nos temas de nossa atuação;
4) Ampliar a discussão sobre as conhecimentos e ferramentas livres (construídos Colaborativamente, com licenças abertas e propriedade coletiva) geradas e melhoradas pela coletividade em detrimento da cultura hegemônica de conhecimentos fechados, controlados e proprietários;
5) Realizar formações, trocas de experiências e diálogos sobre direito humano à comunicação, direitos humanos, educação popular, cultura, democratização das comunicações, escrita de projetos e captação de recursos, entre outros temas necessários;
6) Avaliar as ações realizadas e os encaminhamentos das tarefas planejadas durante os Erejocs 2014 e traçar ações para concluir as em andamento e encaminhar as pendentes;
7) Fortalecer a incidência política sobre os poderes públicos, municipais, estaduais e federais;
8) Avaliar e refletir sobre o Projeto Mais Educomunicação (em parceria com o Instituto C&A), em seu último ano, buscando perspectivas de continuidades ou novos projetos coletivos da Renajoc;

CBJM trata de Democratização da mídia no Brasil com alunos de Escola Pública


Contribuir para a compreensão de como funcionam os meios de comunicação no Brasil e sobre o direito que todos nós temos de também produzir comunicação faz parte dos objetivos do Projeto Cala-boca já morreu. 

Por esse motivo, Mariana Manfredi participou de uma conversa sobre esses dois temas com estudantes do 6º e 8º ano do Ensino fundamental, da Escola Municipal Marlene Rondelli,Vila Prudente, zona leste de SPaulo, nos dias 26 e 27 de outubro/2015.

Fotos: Fernando Cabral

A Reserva Natural do Sesc São Paulo em Bertioga conclui etapa de diagnóstico do Plano de Manejo

Entre as 589 espécies encontradas, destacam-se o palmito juçara e a caixeta, ambas em estado de vulnerabilidade de extinção, segundo classificação da União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais. Também foram observadas quatro espécies de besouros, sendo dois novos registros de ocorrência na Baixada Santista. Em relação às formigas, quatro gêneros que não haviam sido registrados nas áreas de restinga do estado de São Paulo. Também foram encontradas quinze espécies de abelhas registradas pela primeira vez na região de Bertioga. 

Das inúmeras espécies de aves, destacam-se o macuco (quase ameaçada), choquinha-cinzenta (quase ameaçada), araponga (vulnerável) e tiririzinho-do-mato (quase ameaçada). Além disso, foram avistadas quatro espécies de mamíferos de grande e médio porte, entre elas o tamanduá-mirim e o veado catingueiro. Também houve o registro do rato-do-brejo, uma espécie rara.

Boa notícia para todos nós do Cala-boca já morreu que participamos de um pedaço bom dessa história, realizando programas de rádio, na perspectiva da Educomunicação, com jovens de Bertioga para a Rádio Reserva.

Cala-boca já morreu recebe alunos do CEPAM

   

Neste dia 8 de outubro/2015, recebemos 18 estudantes da disciplina "Práticas de Projetos Sociais - estudos de caso", do Curso Técnico de Gestão de Projetos, do CEPAM Centro de Estudos e Pesquisas de Administração Municipal.


Os alunos da Profª Bianca Barbosa Chizzolini buscaram conhecer histórico e concepção de gestão da instituição; articulações e parcerias; captação de recursos; proposta pedagógica, áreas de atuação e resultados alcançados pelo Cala-boca já morreu.


Projetos "Rádio Ambiente 21" e "Rádio Reserva" na VII Conferência “O Melhor de Ambos os Mundos”

Sesc SP apresentou na VII Conferência “O Melhor de Ambos os Mundos”, na Malásia, este vídeo que evidencia as aproximações possíveis e necessárias entre "Educomunicação, Juventude e Meio Ambiente", a partir dos Projetos "Rádio Ambiente 21" e "Rádio Reserva", correalização Sesc/Cala-boca já morreu.

O evento aconteceu de 6 a 12 de setembro de 2015, na Rainforest Discovery Centre, cidade de Sabah, Malásia.

A Conferência “O Melhor de Ambos os Mundos” teve início em 1998, na África do Sul e as edições seguintes alternaram sua realização entre Malásia e África do Sul até o ano de 2013.

Em 2014, o encontro foi realizado pela primeira vez no Brasil, no Sesc Bertioga, correalização com a Universidade de São Paulo (USP) e Sesc SP. "Como a educação para a sustentabilidade deve estar atrelada aos contextos político-sociais" foi o tema de 2015, quando o Sesc SP apresentou o projeto "Radio Ambiente 21", correalização com o Cala Boca Já Morreu - porque nós também temos o que dizer!

O projeto consistiu na criação coletiva de programas de rádio e transmissão, ao vivo, via internet, de programas inteiramente produzidos por jovens de 13 a 29 anos e educadores, que trabalharam na perspectiva da educomunicação, procurando articular aspectos do cotidiano com questões socioambientais. Inicialmente participaram cerca de 80 jovens das unidades Consolação, Interlagos, Pompeia e Santo André, num período de seis meses.

O objetivo foi discutir o direito humano à comunicação, promovendo discussões críticas acerca dos fenômenos sociais e reforçando que educação e comunicação caminham juntas. O projeto contou também com quatro reuniões entre os jovens e educadores das unidades envolvidas, além do "Encontro de Juventude e Meio Ambiente", no Sesc Itaquera. Além disso, parte dos jovens foi escolhida, pelos próprios colegas, para participarem da cobertura da Rio + 20 e Rádio Cúpula dos Povos, desenvolvendo conteúdos críticos sobre o evento com registros em foto e áudio.

Outra ação dos jovens foi o acompanhamento da inauguração do Sesc Sorocaba, onde também criaram programas de rádio para abordar a temática do evento e a opinião do público. Motivado pelo processo de criação da Reserva Sesc Bertioga (futura RPPN – Reserva Particular do Patrimônio Natural) e a realização da VI Conferência “O Melhor de Ambos os Mundos” em Bertioga, os jovens que integraram a Radio Ambiente 21 foram convidados a participarem, juntamente com jovens moradores de Bertioga, da cobertura da conferência que contou com 240 participantes de 17 países diferentes.

A experiência motivadora gerou o projeto Rádio Reserva. Seguindo as bases conceituais da Radio Ambiente 21, interagindo diretamente com o processo de elaboração do plano de manejo da futura RPPN Sesc Bertioga, esta edição das oficinas contou com participação dos jovens de Bertioga que tiveram a oportunidade de entrar em contato com os pesquisadores que realizaram o diagnóstico da área da reserva. 

Os programas de rádio, com debates e entrevistas que compartilharam conhecimentos sobre o processo de criação desta unidade de conservação, também analisaram e geraram informações sobre o território do entorno da área (os bairros e as percepções dos moradores sobre o ambiente), sobre comunicação e o papel do jovem na cidade de Bertioga. 

Com estes projetos, reconhecidos internacionalmente, o Sesc estimula o diálogo das áreas de educação para a sustentabilidade e juventudes, tendo como retorno dos jovens o entendimento que eles perceberam que todos, independente de idade, gênero, nível econômico ou qualquer outra condicionante, tem direito à comunicação e não só o de receber informação. 

Mais do que produzir programas de rádio, estes jovens efetivamente realizaram leituras críticas da realidade e compartilharam ideias e expectativas. Olhar o território faz parte da ação educativa que promove a cidadania e a autonomia dos jovens. 

CBJM participa da "Virada da Educação 2015"

Provocar novas apropriações de um território em direção à construção coletiva de uma comunidade mais conectada, que percebe o aprender e o ensinar espalhados por todos os lugares - este é o objetivo da Virada da Educação.


Nesse evento, o Cala-boca já morreu ouviu participantes e registrou ações que se desenvolveram no dia 19 de setembro/2015.



OFICINA ARTE E A LOUCURA UM DIÁLOGO COM A CIDADE




























Oficina de Educomunicação - programação 2º semestre/2015

Parceria Cala-boca já morreu e Lab_Arte/FEUSP


Dias dos encontros: 2ºs e 4ºs sábados do mês – 10:30 às 13 horas
Participantes: professores que queiram produzir comunicação com seus alunos, estagiários dos cursos de Pedagogia e Licenciatura da Faculdade de Educação da USP

Como participar: envie email para gracia@cala-bocajámorreu.org, apresentando seu interesse e local de atuação

Agosto
08 – 2º sábado do mês
Planejamento coletivo da programação para o semestre 
22 – 4º sábado do mês
Produção coletiva de rádio: tema livre, gênero ficção
Escuta da gravação
Considerações sobre o dia, o processo e o produto

Setembro
12 – 2º sábado do mês
Produção coletiva de rádio, ao vivo: entrevista com Marcos Ferreira Santos e coordenadores dos Núcleos do Lab_Arte/FEUSP
Considerações sobre o dia, o processo e o produto
26 – 4º sábado do mês
- Coleta de depoimento com crianças e adolescentes, no Projeto Jaê - criando a SPaulo que a gente quer, na Praça WiFi Livre SP da Biblioteca Monteiro Lobato, zona central do município;
- Considerações sobre o dia, o processo e o produto 

Outubro
03 1º sábado do mês (encontro antecipado, em função do feriado prolongado do dia 12)
Considerações sobre o último encontro
Criação de vinheta
Considerações sobre o dia, o processo e o produto
24 – 4º sábado do mês
Audacity: exercícios de edição e finalização
Considerações sobre o dia, o processo e o produto

Novembro
14 – 2º sábado do mês
Produção coletiva de rádio, ao vivo, sobre um tema de interesse do grupo
Considerações sobre o dia, o processo e o produto
28 – Encerramento / Avaliação do semestre

‪#‎cbjm20anos‬


...tarde da noite, alguns dos convidados...
os que já tinham ido embora ficaram visíveis na energia boa da imagem...
 Nossa festa de 20 anos foi uma beleza, do jeitinho que a gente queria...

Foi bom receber mimos, recadinhos, abraços e carinho de gente querida e importante na nossa vida.

VIVA! Continuemos juntos!

Temos bons motivos pra festejar...

Programação
- lançamento do livro "Educomunicação - o que é isto", de Donizete Soares
- show de samba com o grupo da "Maíra da Rosa e Trio Xirê"
- bolos deliciosos da Mayra Lima Soares
- lanchinhos huuumm! de Fernando & Vilma Cabral, e vegeta de Milena Klinke
- entrevistas para Guilherme, Juliana e Cia
- bate papo bom com amigos queridos

Atividades do Trecho 2.8 - segundo semestre/2015

Contando com o apoio do Projeto Cala-boca já morreu, no próximo dia 3 de agosto/2015, retomamos as atividades do Trecho 2.8, projeto desenvolvido com pessoas em situação de alta vulnerabilidade social. 

Anote e divulgue:

OFICINA DE FOTOGRAFIA: às segundas, no CCI - Centro de Convivência do Idoso, na Henrique Schaumann, 125 - Pinheiros. 

PREPARAÇÃO PARA O ENEM ou PARA SABER DAS COISAS, na quinta, na Matilha Cultural, na Rua Rego Freitas.

CBJM na Escola Municipal Marlene Rondelli, na Vila Prudente

Em 22 de julho/2015, um dia depois do Prof Donizete ter tratado de "Democratização da Escola", na reunião de professores, Bárbara, Sofia e Mariana Manfredi conversaram com professores alunos de 5º ao 9º ano do Ensino Fundamental.

O assunto? Como produzir comunicação na escola.

Como sempre, a palestra incluiu momento de 'por a mão na massa', ou melhor, de entender que se aprende, fazendo... Em pequenos grupinhos, todos vivenciaram a produção de pequenos programas de rádio 'ao vivo'.

O resultado foi tão animador que, breve, vamos receber visita desse pessoal bacana no CBJM.

Gostamos de ver que esse momento que passamos juntos ilustrou bem o que está publicado na página do facebook da EMEF Marlene Rondelli: "O Projeto Político Pedagógico visa criar espaços de escuta na escola, premitindo o diálogo que só acontece quando os interlocutores são vistos como sujeitos de direitos.Apostamos no fortalencimento do Protagonismo Infanto-Juvenil."

Cala-boca já morreu participa da formação StoryA em Digital Storytelling

O projeto Story Abroad tem por objetivo utilizar a metodologia Digital Storytelling como forma de aprendizagem e como forma de combate ao desemprego juvenil.

O Museu da Pessoa integra este projeto (assim como outras 8 instituições internacionais) e, por esse motivo, de 16 a 19 de julho de 2015 ofereceu um curso a jovens de todo o Brasil que passaram por alguma experiência no exterior, para que eles contassem e registrassem sua história.

Sofia, que em 2011 foi à Indonésia participar da Conferência TUNZA, pelo Cala-boca já morreu, fez parte desta formação, que ocorreu no Centro de Pesquisa e Formação do SESC em forma de 3 "círculos".

No primeiro círculo, as histórias foram compartilhadas com o grupo e algumas sugestões foram feitas para que a narração ficasse boa de ouvir. No segundo círculo, cada um escreveu o roteiro de sua história, que mais tarde seria gravada em vídeo. Por fim, no terceiro círculo, os vídeos já finalizados foram assistidos por todos. O processo de gravação e edição foi feito pelos próprios autores, que tiveram a liberdade de montar o vídeo da maneira que quisessem.

Mariana Kz, que como Sofia participa do projeto Cala-boca já morreu, mediou a formação junto com Carol Misorelli, que trabalha no Museu da Pessoa.

O vídeo da Sofia você confere abaixo!







É preciso escutar as crianças!

Na vida de verdade, criança vivencia, senão todas, a maioria das situações cotidianas dos adultos.
Novos grandes centros, por exemplo, quantas não são as que, desde os primeiras horas da manhã, acordam já no ritmo louco do cotidiano de suas famílias? Forçosamente, tal qual os grandes, levantam e enfrentam trânsito; não raro, são recebidas com mau humor e estupidez, por gente descontente, em creches, escolas ou na casa de quem vai ficar com elas até que alguém as busque, depois do expediente de trabalho.

Além de tentar entender o universo infantil, através de suas brincadeiras e desenhos, é possível compreender a criança a partir do que elas próprias dizem, pois também dispõem, como os adultos, dos recursos da fala para manifestar o que sentem, pensam e sonham...

Com essa intenção, estamos realizando o Projeto Jaê - criando a São Paulo que a gente quer!

O que dizem sobre transporte, educação, lazer, moradia, saúde - áreas da vida real das grandes cidades, que conhecem muito bem?

Quais são as suas sugestões para que a cidade seja justa e solidária para com elas também?

Projeto Trecho 2.8 - criação e pesquisa em fotografia



Formação em fotografia e Formação para o ENEM são as atividades oferecidas pelo Trecho 2.8 para adultos em situação de alta vulnerabilidade, e para alunos da Faculdade de Educação da USP, interessados em estágio em Educação não formal.


As aulas de Fotografia acontecem às segundas-feiras, no Projeto Cala-boca já morreu
A Formação para o ENEM acontecem às quintas-feiras, na Matilha Cultural.



Cala-boca já morreu e a "Democratização da mídia"


O Programa "Diversidade", parceria entre o Conselho Regional de Psicologia de São Paulo e a TV PUC/São Paulo, apresenta a partir dos 14 minutos dessa edição, um pouco da concepção do Projeto Cala-boca já morreu sobre direito à comunicação, na perspectiva da Educomunicação.

VIDA longa à Rádio Reserva do Sesc Bertioga!

A “Reserva Sesc Bertioga”, futura RPPN, tem uma área de cerca de 60 ha (equivalente a 60 campos de futebol), inserida na zona urbana do município de Bertioga, nos domínios do bioma Mata Atlântica no litoral paulista. Conserva um remanescente de restinga, ecossistema típico de regiões litorâneas, muito ameaçado de extinção.
Toda UC deve ter um plano de manejo, que é o documento técnico que caracteriza seu entorno e sua área, estabelece o zoneamento, as normas e as diretrizes que atendam os objetivos de conservação da natureza e da categoria específica; no caso das RPPNs: visitação, educação ambiental e pesquisa científica. Este documento deve conter indicações de programas/projetos de manejo, proteção, visitação, educação ambiental, gestão, pesquisa, entre outros, além da localização adequada para a implantação das estruturas físicas necessárias à gestão da unidade.
O plano do manejo da Reserva Sesc Bertioga teve início em março de 2014, com a realização de uma série de estudos e diagnósticos socioeconômicos, históricos e culturais, além da caraterização dos meios físico e biótico, com a identificação da fauna e flora presentes na área, apontando as fragilidades e potencialidades como forma de, nas etapas seguintes, desenvolver seus programas de manejo.
A etapa de planejamento deverá apresentar programas que garantam a conservação dos recursos naturais, os usos potenciais da área e propostas de ação que valorizem a identidade cultural do local.
Para o envolvimento da comunidade, com foco no público jovem, o Projeto Cala-boca já morreu realizou oficinas de educomunicação para  adolescentes, moradores da região, que estabeleceram  contato com temas como UCs, interpretação ambiental, comunicação e diálogo com os pesquisadores que realizaram os estudos de campo.
Trechos da matéria do site do Sesc SP, publicada em
 http://www.sescsp.org.br/online/artigo/8663_DESCUBRA+A+RESERVA+SESC#/tagcloud=lista

Dia de aprender jogos de outras culturas







11 de abril, Gustavo De Lucca, mais uma vez, passa a tarde ensinando jogos que gosta e que coleciona há muito tempo.












Regras e mais regras e de diversão de montão no quintal!



"Família que tem filhos devia morar no 1º andar. Assim, se as crianças caíssem, elas não se machucariam"



O título deste post é um dos comentários de um programa de rádio, produzido com um grupo de crianças de 8 a 11 anos, sobre saúde, educação, lazer, segurança, transporte e moradia em Parada de Taipas, zona norte de São Paulo.


A ação, idealizadas pelo Projeto Cala-boca já morreu para o  “Jaê – criando a São Paulo que a gente quer”, é um dos projetos selecionados pelo edital Redes e Ruas, das Secretarias da Cultura, Direitos Humanos e Serviços, da Prefeitura de São Paulo, em 2015.

O programa na íntegra você ouve aqui.

Vem aí o Projeto Jaê - criando a São Paulo que a gente quer


Mariana Manfredi explica que o projeto Cala-boca já morreu irá realizar um mapeamento do que crianças e adolescentes pensam e desejam para a nossa cidade. Conta também que para isso acontecer, vamos realizar oficina de rádio na perspectiva da Educomunicação, em 18 telecentros, e encontros regionais em Praças WiFi, para partilhar e acrescentar dados à construção coletiva que terá 9 meses de duração. A ação faz parte do Programa Redes e Ruas, da Prefeitura de São Paulo

EEEEE! Começou 2015!

17 de janeiro 2015 - sábado 
Emoticon smile
Quem veio: Eu (Bárbara), Isis, Manfredi, Milena, Sofia, Camila, Mylena, Isabelle, Vitória, Izadora, César e Miguel, o bebê da Vitória (rs)
Fizemos uma chuva de ideias sobre o que gostaríamos de fazer esse ano (podemos rever essa lista no início do 2º semestre):
- Fotonovela
- Vídeo
- Momento de contar as novidades
- Rádionovela
- Jogos
- InstallFest
- Atividades na casa: facilitação gráfica, reflexologia, aprender a fazer jogos, rádio em outros lugares: praças, parques...
- Viagem
- Passeios
- Eventos 
- Atividades na cidade: passeios, eventos culturais, conhecer outros bairros
- Conversar sobre: Oriente médio, Conflitos, Atualidades, Roda de conversa sobre política,  Manifestações
Já estamos colocando algumas coisas na agenda dos próximos sábados.

Também conferimos as promessas que fizemos ano passado e fizemos novas 
Emoticon smile