Radionovela

 
Num sábado desses de oficina no Cala-boca, decidimos fazer radionovela. Eu fiquei bem feliz, já que em quase dois anos de Cala-boca eu ainda não tinha feito radionovela. A gente só decidiu por radionovela porque a gente ia fazer programa de rádio naquele dia, e um dos blocos era história de terror.

A Mylena nos contou uma história da  Casa da Solidariedade onde alguns de nós estudamos, e aí todo mundo ficou com vontade de ser desse bloco. Todos ficaram super animados!

A gente pensou em contar a história de um jeito diferente: com sonoplastia, vozes diferentes... Começamos a dar uma modificada no roteiro e decidimos quem ia ser cada personagem. O roteiro é a parte mais demorada, já que várias ideias surgem e tem que ir decidindo qual a sonoplastia daquela "cena", como cada uma faz a voz daquele personagem...

Era uma história de terror que demos o nome de "Se essa rua fosse minha".
A história contava a vida de Sebastião e Ana, que eram casados. A trama começa quando Sebastião desconfia que Ana o está traindo. Eles discutem e Ana cai da escada e morre.

Depois de vários anos, Ana volta para se vingar de Sebastião, matando-o do mesmo jeito que ela morreu. Nos dias de hoje, a casa onde ocorreram as mortes é vendida e Ana volta para atormentar a vida da nova família que mora naquela casa.

Mas, eu não vou contar o que acontece quando a Ana volta, então, ouçam a nossa radionovela!



Bárbara Miranda, 16 anos

Nenhum comentário:

Postar um comentário