Marcas de um tempo bom...


Uma das marcas do Projeto Cala-boca já morreu continua sendo a de contar com pessoas que gostam e decidem participar das atividades que desenvolvemos.

Desta vez, Pedro Holmes é quem nos conta, do seu jeito (do seu ponto de vista), um pouco do que foi marcante para ele no sábado de 16 fevereiro, na casa CBJM.

"Começamos com pouca gente, umas oito ou nove pessoas... já sentindo a falta da Mariana Manfredi, que, como Mariana Kz, também viajou...(no final da tarde, porém, éramos 20 pessoas)

Começamos a conversar sobre o passeio, quando alguns integrantes do CBJM foram à uma feira, nomeada como Feira Kantuta, próximo ao Metrô Armênia, da linha 1 - Azul (norte-sul). Demos muitas gargalhadas com histórias que contaram, que tinham sprays de espuma, e que tacavam nos outros... muita gente ficou molhada de espuma, inclusive o Cesar de Lucca, que foi "atacado" por um spray que uma menininha lançou contra ele.

Aí o César fez uma senhora macarronada que deixou todos famintos... toda hora alguém ia lá na cozinha perguntava: Já ta proooooonto? E quando ficou pronta, a macarronada a la Cesar De Lucca fez o maior sucesso. Até quem não queria comer acabou comendo.

Logo em seguida, conversamos mais sobre o projeto da TV Cala-boca já morreu, que vai estrear daqui a alguns meses. A Isis Lima Soares sugeriu, então, que a gente nesse sábado fizesse exercícios de câmera, que nos entrevistássemos, para tentarmos dar um jeito nas tais vergonhas e para nos afiarmos para o programa. Logo em seguida, nós assistiríamos as gravações, e discutiríamos sobre elas.

Depois fomos aprender alguns exercícios de alongamento para começarmos a praticar capoeira com a Laúcia Almeida. Todo mundo sentiu dores devido a certos movimentos, mas não pensem que ela estava fazendo a gente sofrer. Muito pelo contrário, isso aconteceu porque aqueles exercícios muitas pessoas não se acostumaram a fazer. Mas demos um jeito e esquecemos a dor.

Então esse sábado foi ma-ra-vi-lho-so!"

Nenhum comentário:

Postar um comentário