Cala-boca já morreu participa de evento no SESC Vila Mariana


Isis Lima Soares participou do evento Alternativas para a educação, promovido pelo SESC Vila Mariana, especialmente dirigido a profissionais da educação.
"O exercício do diálogo nos processos pedagógicos" foi o tema da roda de conversa do dia 27 de março de 2013, que contou com as participações de Márcia Amélia Moura, da UMAPAZ (Departamento de Educação Ambiental da Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente da Prefeitura do Município de São Paulo), Isis Lima Soares - Projeto Cala-boca já morreu e de Dalva Aparecida Gracia - Dep Filosofia PUC/SP.

Metas do Milênio


No dia 16 de março de 2013 a Rádio Cala-boca já morreu veiculou um programa que avaliou o cumprimento das Metas de Desenvolvimento do Milênio, estabelecidos pela Organização das Nações Unidas, em 2000. O motivo desse programa foi um convite recebido pelo João Felipe Scarpelini, da Coalizão de Jovens pelo Pós-2015, e integra um esforço de diversos organismos internacionais para a construção de uma agenda de desenvolvimento global pós-2015 (prazo que os 191 países tem para apresentar resultados sobre o cumprimento das Metas).

Para ter condições de avaliar as 8 metas, o grupo, composto por 20 crianças e adolescentes com idade entre 9 e 22 anos, se debruçou para entender e aprofundar seus conhecimentos sobre cada objetivo. O caminho escolhido para dar conta dessa tarefa foi identificar questões do cotidiano dos participantes que estejam relacionadas, de alguma maneira, com as metas do Milênio. Esta opção permitiu ao grupo entender a importância de buscar informação como forma de compreender criticamente a realidade que vivem, como também de atuar sobre ela.

O programa, disponível abaixo, trata dos temas Merenda Escolar e Escola Integral, que se relacionam diretamente com as metas de Erradicação da Pobreza Extrema e Combate à Fome, Educação Básica de qualidade para todos e Redução da Mortalidade Infantil. Além das questões trazidas pelos participantes do programa, o programa contou com a participação de ouvintes pela página do Projeto Cala-boca já morreu no facebook.

inicio de 2013 na horta

Oi Amigos,
Esta é a minha primeira postagem da horta em 2013. Relato o que aconteceu da minha última postagem até hoje, 20 de Março. 
No final de 2012 chegou um manjericão (agora são dois na Casa).
Em 2013 aumentou o número de boldos e fiz um novo arranjo na Horta, deixando as plantas do mesmo tipo próximas umas das outras. 
Postei uma foto da horta de Março de 2013, que cada dia que passa está com mais plantas.
Abraços
Mariane Beger

Terceira idade no Cala-boca já morreu



Dia 08/03 aconteceu na casa Cala-boca já morreu mais um Treinamento de Memória, ministrado pela gerontóloga Maria Lúcia Berger, como acontece todas às sexta-feiras, das 10 às 12 horas.

Escrevo neste primeiro momento como registrador em fotografia daquilo que aconteceu na atividade.

Vi como foi é possível estimular ou resgatar a memória fazendo pequenas alterações no nosso cotidiano.

Sentir as elevações existentes nas chaves, mudar constantemente o lixo do lugar são exemplos de como estimular as funções cerebrais. Na segunda parte do encontro, os idosos participantes desse trabalho, fizeram exercícios para estimular suas funções cognitivas, habilidades e resoluções de problemas racionais.

Identifiquei em todos os participantes um desejo de trabalhar a memória para buscar busca pela melhoria na qualidade vida.

Abraços

Jefferson Santana, do grupo gestor do Projeto Cala-boca já morreu


Coral Acalanto - os ensaios continuam


No dia 28 de fevereiro, fui agraciada por cantar no coral e também registrar em foto o trabalho bonito que continua acontecendo toda quinta-feira à tarde na casa Cala-boca já morreu.

Só tenho a agradecer, pois foi uma tarde maravilhosa, cheia de boas recordações! 

Lembrei dos meus 5 anos, quando eu morava em Encanto, Rio Grande do Norte. Os vizinhos se juntavam para "desbuiar" feijão, cada um contava uma história, e eu ficava até tarde lá só para ouvir os mais velhos contando suas aventuras!

Maria Lúcia Costa, participante do Cala-boca já morreu



Novidades boas!


No dia 02/03, nos reunimos na casa “Cala-boca já morreu” para a oficina permanente que acontece sempre aos sábados das 14 às 18 horas.

Iniciamos o dia com as novidades que cada um tinha para contar da semana e depois definimos que a programação do dia seria conversarmos sobre os temas escolhidos pelos grupos para o programa de TV, ainda em planejamento, mas que em breve vocês verão na TV Cala-boca já morreu!

Os grupos escolheram estes temas: desenhos animados, diversidade cultural em SP e conhecendo os bairros de SP. Discutimos sobre o que pensamos em pesquisar sobre cada um deles, como estão as ideias após a tarde em que assistimos desenhos, a visita feita à feira Kantuta e as experiências que tivemos de manusear a câmera.

Após esta discussão, conversamos sobre um convite feito pelo João Felipe Scarpelini para sermos um dos grupos a avaliar o cumprimento dos oito Objetivos do Milêniopropostos pela ONU para o que chamam de "voluntariado". Depois de entender a proposta, escolhemos juntos os temas que iríamos pesquisar. Em breve mais novidades sobre este assunto.

A tarde continuou com a comemoração dos aniversariantes da semana: César, Camila Doretto e Bárbara. Comemos o bolo que a Isis fez e os chocolates que a Mariana Manfredi trouxe de sua viagem aos EUA. Manfredi contou como foi sua viagem e trouxe também pirulitos que tem insetos de verdade dentro. Como é comer um escorpião? Só experimentando para saber!

A tarde se encerrou com a aula de capoeira dada pela Laúcia. Alongamos e treinamos alguns golpes.

Para os próximos encontros combinamos de conversar mais sobre as “Metas do Milênio”, fazer um programa de rádio sobre este tema no dia 16/03 e retomarmos a preparação do programa de TV no dia 23/03. 

Agora nos últimos sábados do mês teremos também um trabalho corporal com a Renata Pudo que é fisioterapeuta, acupunturista e psicossomatista. Ela vai ensinar a conhecer o próprio corpo através da reflexologia.

texto de Lívia Lopes

Marcas de um tempo bom...


Uma das marcas do Projeto Cala-boca já morreu continua sendo a de contar com pessoas que gostam e decidem participar das atividades que desenvolvemos.

Desta vez, Pedro Holmes é quem nos conta, do seu jeito (do seu ponto de vista), um pouco do que foi marcante para ele no sábado de 16 fevereiro, na casa CBJM.

"Começamos com pouca gente, umas oito ou nove pessoas... já sentindo a falta da Mariana Manfredi, que, como Mariana Kz, também viajou...(no final da tarde, porém, éramos 20 pessoas)

Começamos a conversar sobre o passeio, quando alguns integrantes do CBJM foram à uma feira, nomeada como Feira Kantuta, próximo ao Metrô Armênia, da linha 1 - Azul (norte-sul). Demos muitas gargalhadas com histórias que contaram, que tinham sprays de espuma, e que tacavam nos outros... muita gente ficou molhada de espuma, inclusive o Cesar de Lucca, que foi "atacado" por um spray que uma menininha lançou contra ele.

Aí o César fez uma senhora macarronada que deixou todos famintos... toda hora alguém ia lá na cozinha perguntava: Já ta proooooonto? E quando ficou pronta, a macarronada a la Cesar De Lucca fez o maior sucesso. Até quem não queria comer acabou comendo.

Logo em seguida, conversamos mais sobre o projeto da TV Cala-boca já morreu, que vai estrear daqui a alguns meses. A Isis Lima Soares sugeriu, então, que a gente nesse sábado fizesse exercícios de câmera, que nos entrevistássemos, para tentarmos dar um jeito nas tais vergonhas e para nos afiarmos para o programa. Logo em seguida, nós assistiríamos as gravações, e discutiríamos sobre elas.

Depois fomos aprender alguns exercícios de alongamento para começarmos a praticar capoeira com a Laúcia Almeida. Todo mundo sentiu dores devido a certos movimentos, mas não pensem que ela estava fazendo a gente sofrer. Muito pelo contrário, isso aconteceu porque aqueles exercícios muitas pessoas não se acostumaram a fazer. Mas demos um jeito e esquecemos a dor.

Então esse sábado foi ma-ra-vi-lho-so!"