Cala-boca já morreu participa do "Diálogo aberto sobre Mídia e Infância"

No dia 26 de novembro, a convite da Escola Vivendo e Aprendendo, de Brasília, César de Lucca participou de uma mesa de debates tratando de produção coletiva de comunicação por crianças, na perspectiva que desenvolvemos no Projeto Cala-boca já morreu, ao lado do Instituto Alana que destacou a necessidade de controle sobre a publicidade que diretamente contribui para formar crianças para o consumo.

Os vídeos abaixo trazem um pouco do que César partilhou com professores e pais interessados em aprofundar a reflexão entre Criança e Mídia




Mais que um presente para a casa...



Nesse vídeo, a demonstração de que a meninada do CBJM entendeu o recado: "a nossa casa é onde a gente está", como diz Arnaldo Antunes

Rádio Cala-boca já morreu

No sábado, 12/11/11, a Rádio Cala-boca já morreu entrou no ar com 4 programas.

Pela manhã, os participantes do grupo de estudos da Faculdade Sumaré e do Lab_Arte FE-USP,  voltados para a Educomunicação e Formação de professores,  trataram da greve na USP

`A tarde, na 1ª parte do programa "As crianças falam no rádio", ouvimos uma conversa sobre tatu-bola e macaco. Na 2ª parte, o tema escola serviu para várias considerações interessantes.

O dia terminou com o grupo de adolescentes discutindo o que pensam e sentem sobre os temas vida/morte.

Você pode ouvir todos esses programas aqui embaixo.

Para ouvir todas as produções da Rádio Cala-boca já morreu basta clicar aqui


Programa "As crianças falam no rádio"

Parte 1 - tatu bola, macaco...

ou clique aqui
Parte 2 - escola...











ou clique aqui


Programa dos adolescentes
Tema: vida/morte...











ou clique aqui


Grupo de estudo "Educomunicação e Formação de Professores"
Tema: greve na USP

ou clique aqui

Terceiro Elemento: Fogo


Hoje é dia 25.11.11

Fogo, petróleo e ar

Hoje, no CBJM, conversamos sobre o elemento Fogo, mas dentro desse assunto veio o tema Petróleo e as energias renováveis e não-renováveis. Lemos uma lenda chamada Pandora, Minarã e o Fogo. O tópico: As principais fontes de energia. Textos retirados do livro "Fogo" Mudanças ambientais globais, pensar + agir.
Ficamos indignados com o problema das energias renováveis e não renováveis, já que usamos o petróleo em peso (energia não-renovável). Notamos que o Brasil tem estrutura para produzir energia renovável, mas não entendemos porque isso ainda não acontece. Podemos usar o lixo para produzir energia, poupando petróleo e consequentemente tirando uma grande quantidade de lixo dos aterros. A anos a população sabe da importância da reciclagem para o nosso planeta, mas não contribui com a melhora da situação. Então a reciclagem ajudaria a tirar lixo do planeta, e o lixo orgânico ajudaria gerar energia elétrica.

Bárbara Miranda, Jorge, Laúcia, Mylena, Maryana e Lúcia.

Continuaremos no próximos encontro do Terceiro Elemento: Fogo.

Segundo Elemento: Terra


Processo do Projeto - Quatro elementos na Baixada do Glicério

Hoje é dia 18/11/2011

Hoje no Cala-boca já morreu, continuamos com a discussão da semana passada sobre o projeto de video informativo. O tema foi poluição na terra; no texto que trouxemos descobrimos as causas da poluição como: lixo domésticos, eletrônicos, industriais, fertilizantes, detritos da criação de animais e pesticidas.
Assim como no texto anterior descobrimos novas palavras.
Deposição é um acúmulo de coisas desnecessárias, quase o mesmo significado de descarga, que é descartar o que não usamos mais como: pilhas, óleo de cozinha, eletro domésticos, madeiras , pneus etc...
Quando o lixo não é armazenado do jeito correto ele vai para aterros sanitários e a água da chuva leva os produtos tóxicos para o solo que entra em contato com a água que vai parar nos rios e lagos e acaba voltando pra nossa casa.

Pessoas presentes: Laúcia ,Mylena, Maryana , Laura, Julyana, Jorge, Jaqueline, Bárbara, Lúcia e João.

Primeiro elemento: Água


Processo do Projeto - Quatro elementos na Baixada do Glicério

Hoje é dia 11.11.11

Nós discutimos sobre elemento Água. A Bárbara trouxe uma pesquisa sobre o Rio Tamanduateí, que fica perto da nossa casa, a Baixada do Glicério; Próximo a Sé e a Liberdade - São Paulo.
Discutimos sobre o texto, e descobrimos novas palavras e na próxima semana discutiremos sobre novos elementos. Descobrimos também que Tamanduateí significa, em "tupi", rio de muitas voltas. Observamos no texto que algumas palavras eram difíceis de compreender o significados, como "hiatos", "sulcando", "pestilento" e etc.
Nós entendemos que antigamente o rio Tamanduateí era mais largo, mais as pessoas do poder (os ricos) construiriam avenidas, estações de trem e metrô, terminais e locais para moradia da população. Aqui atualmente está toltalmente poluído, e assim chega até o rio Tietê, degradando o mesmo.
O rio Tamanduateí nasce na Serra do Mar e desagua no Tietê.

Produzido por: Bárbara Miranda, Jaqueline Pereira, Laura Soares, Laúcia Almeida, Evellyn Freitas, Jorge Luís, Lúcia e João.

Cala-boca já morreu no TEDx Jovem de dezembro

Isis Lima Soares é uma das convidadas para contar sua história no TEDx Jovem que vai acontecer na UMAPAZ, no Parque do Ibirapuera.

Conheça um pouco do que será esse evento, acompanhando o bate papo conduzido por Maurício Curi com André Gravatá e Mariana Resegue, idealizadores do TEDx Jovem, e a convidada Isis, contando parte do que vai conversar pessoalmente, no próximo dia 4 de dezembro.